Afinando os detalhes de uma vivência ainda melhor

Recentemente fiz uma breve viagem de ajuste de roteiro em Bananal (SP), coloquei as botas que me levaram a Santiago nos pés, peguei meus cajados e com minha mochila peregrina nas costas, abastecida com tudo o que eu precisava, deixei meu carro para trás junto com as preocupações, para então viver inteiramente essa nova experiência!

Fugir do agito urbano e da zona de conforto, mesmo que por dois dias e a trabalho, era exatamente o que eu precisava, mas não sabia!

Pude afinar os detalhes mais sutis da jornada ,que chamei de vivência peregrina, idealizada para quem tem vontade de fazer o caminho de Santiago mas não sabe como funciona.

Sinto que essa experiência será uma linda partilha!
BannerVivencia

No fim de cada dia eu estava cansada fisicamente, depois de caminhar,observando como meu corpo reagia e contemplando a beleza da natureza que se apresentava no caminho durante e depois da jornada (sem esquecer dos desafios que merecem igual atenção).

Eu estava muito feliz por ter vencido com sucesso mais uma etapa e por ter dado mais um passo em direção ao meu objetivo!

Na primeira noite, fui a primeira peregrina a inaugurar o albergue Rivendel!

O Albergue fora lindamente decorado para acolher ecoturistas, alunos de oficinas ou workshops e os peregrinos da vivência! Usei de sua estrutura, dormi maravilhosamente bem e recuperei as energias para a jornada do novo dia de inspeção e muita caminhada!

Tudo fluiu bem como programado e nesses dois dias pude definir o que ficará mais aprazível e em conformidade a proposta da vivência!

Na noite seguinte, eu já estaria de volta à minha cidade e dormiria em casa, porém decidi dormir na casa de meu pai, que ficava no meio do caminho,entre Bananal e a minha casa.

Acho que no fundo eu queria retardar a chegada a selva de pedra urbana…

Conversei com meu pai e com minha irmã.Ela percebeu claramente meu estado físico de cansaço, após a expedição do dia,mas seguia me observando com uma curiosidade fora do normal, embora ela percebesse minha alegria…

Isso quer dizer que meu estado de exaustão física se repetia, e talvez tenha se agravado ainda mais, depois de dois dias de caminhada, porém eu me sentia TÃO LEVE, FELIZ e FALANTE por ter aperfeiçoado meu projeto, por ver a ideia tomando forma e se tornando real!

Foi quando ela me perguntou…

Como você sabe que seu projeto vai dar certo?

Com muito tato, expliquei que alcançar o objetivo principal do projeto é um processo, não é algo rápido, e que sempre existe o risco das coisas não serem como queremos!

A resposta só vem quando começamos a agir e aprendemos à medida que avançamos! Eu estava ali celebrando mais um passo rumo a direção desejada!

Porém, para que as coisas deem “certo” eu preciso fazer a minha parte, com atenção, com qualidade e perseverança!

Gosto do que faço e sei que no fundo todos os passos são válidos e importantes em minha vida, mesmo que a chegada seja de uma forma ou hora diferente da que imaginei…

Essa dúvida é normal, porém meu coração tem a certeza de que minha intenção e preparação são as melhores possíveis hoje!

Daí surgiu sua derradeira e potente pergunta, você tem medo de não conseguir chegar onde você quer?

SIM e NÃO foram minhas respostas!!!

Seus olhos saltaram, então continuei…

SIM, o medo faz parte da jornada, mas você NÃO pode se deixar paralisar por ele, pois onde você quer chegar é importante para você.

Você “escolhe”, o tamanho, a importância e o peso que vai dar para o medo!

Recomendo que o mantenha pequeno!

É preciso persistir e seguir adiante!

O danado do medo, tem lá suas qualidades, ignora-lo pode ser fatal!

Ele é quem te faz ficar mais alerta, ter cuidado onde pisa e ao enfrenta-lo você se sentirá mais forte e capaz de avançar a cada passo, com coragem e uma calma que muitas vezes você nem imagina ter!

Aos poucos, no seu tempo, você vence as adversidades, conforme elas se apresentam! Mesmo que você não chegue onde você quer, você já estará bem mais perto de onde quer chegar!

Muitas vezes ao longo do caminho, passamos por curvas fechadas, não sabemos o que está por vir, pois nossos olhos não conseguem antever nada, mas temos que seguir adiante, com menos velocidade, com os ouvidos e ocoração mais atentos ao agora …

Ao colocar se em movimento, enfrentamos os desafios com mais naturalidade e superamos o medo aos poucos!

Tenho sempre comigo muita fé, bom senso e determinação de que o melhor está por vir, depois de cada curva!

Assim, não fico escrava das facilidades e da zona de conforto, o que nem sempre nos torna indivíduos realizados e satisfeitos com a própria vida!

Todos temos o poder de escolher nossos caminhos e o que precisamos levar conosco para enfrentar a jornada!

Naturalmente arcamos com o peso inevitável de nossas escolhas!

Ah… não escolher, é uma escolhatambém, talvez a escolha de quem está bem ou prefere nem sequer tentar.

Agradeci pelas perguntas, pois sem elas talvez eu não tivesse a clareza das respostas!

Mal sabia ela, que o meu estado que lhe causou tanta estranheza, era apenas uma etapa diante desse sonho, que tem um caminho ainda mais longo a ser enfrentado pela frente…

O sonho de realizar essa vivência, faz com que a chama do espírito peregrino da partilha, fique ainda mais forte dentro de mim! Através da prática, poderemos trocar experiências diante do que vivenciaremos eacrescido como enfrentei em minha jornada peregrina,no caminho de Santiago ao longo dos 900km de jornada.

O MEDO vem sim, mas ele passa dianteda lembrança do que já enfrentei…

Afinando os detalhes de uma vivência ainda melhor

Peregrina do Caminho de Santiago de Compostela e observadora de aves, cultiva a atenção ao detalhe e a paixão pela natureza. É turismóloga de formação e aventureira de coração! Por treze anos atuou em variados segmentos no turismo, trabalhando como agente de viagens e guia de turismo, onde desenvolveu a habilidade em planejar , lidar com logística de viagem e com viajantes de variados perfis. Hoje trabalha com Assessoria & Coaching para viagens de transformação

2 thoughts on “Afinando os detalhes de uma vivência ainda melhor

  • 7 de novembro de 2015 at 00:23
    Permalink

    Jana, desejo muito que seu projeto seja muito cheio de sucesso. Espero em algum momento conseguir realizar esse caminho de Bananal.
    Torço para tudo funcionar na direção planejada.
    Sucesso.
    Jose Mauro, Rio de Janeiro

    Reply
    • 13 de abril de 2016 at 19:13
      Permalink

      Gratidão Mauro!

      Você ainda tem interesse em fazer esse caminho a Bananal?

      Abraços fraternos,
      Jana Carvalho

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *